sexta-feira, março 18, 2011

A Missão Espiritual do Brasil



A Missão espiritual do Brasil

por Antônio Celente Videira

Assim como acontece com cada indivíduo, cada nação possui uma meta espiritual
a cumprir. Conheça aqui um pouco mais desta nossa história espiritual.

Para compreensão do estado de compromisso espiritual do Brasil, diante de um mundo conturbado, é imperativo que se faça análise dos acontecimentos do passado remoto, mais precisamente a partir do Século XI.

Segundo a obra “Brasil Coração do Mundo, Pátria do Evangelho”, de autoria do espírito de Humberto de Campos, psicografada pelo médium Chico Xavier, mensageiros devotados reencarnam no orbe terráqueo.

No século XIII, inicia-se o esmae-cimento da expressão feudal, já que, sob a inspiração do Alto, universidades são fundadas na Europa.

Através do processo reencarnatório, a França vai abrigar a alma ateniense, nas suas elevadas indagações filosóficas e científicas, abrindo caminho para o direito do homem e dos povos. A Inglaterra abrigará a edilidade romana, com sua prudência e educação, conformando o homem, daquela época, com o ingrediente das criaturas que viveram a Nação dos Césares. Mas é na Itália, que os mestres da Antiga Grécia vão fazer o Movimento Renascentista, surgindo a pintura, a escultura, enfim, a arte.

Com o desmantelamento da Ordem dos Templários em 1307, D. Diniz vai abrigar os monges guerreiros em Portugal. A partir desse instante, cria-se a Ordem de Cristo, com resquício de toda uma cultura templária. Nesse torvelinho, surge a figura do controvertido Henrique de Sagres, ligando o seu nome a um centro de pesquisas, que denominamos Escola de Sagres. Chamamos essa escola de centro de pesquisas porque, na realidade, não era uma escola na acepção da palavra, mas a animação de um processo de estudos voltados para a descoberta de outras plagas terrestres. Seria a NASA daqueles tempos.

Estava o Brasil pronto para celebrar, sob a maestria do Alto, o cruzamento entre o nativo e o branco português, sendo que este já era um caldatário de bárbaros visigodos, árabes, romanos, fenícios e outros povos do velho mundo que se entrecruzaram.

O produto do acasalamento daquelas raças iria, mais tarde, absorver o negro.

Esse negro africano, segundo a obra “Umbanda – A Proto-síntese Cósmica”, de autoria do Caboclo 7 Espadas, psicografada por Rivas Neto, já era uma raça decaída, mas com resquícios do grande Tronco Tupi ou Raça Vermelha, sob a proteção da Confraria dos Espíritos Ancestrais, que surgiu no Brasil Central, tendo chegado à África, através do constante mergulho espiritual na carne e do deslocamento físico, deixando para trás uma cultura e um sentimento religioso-científico que muito lhe custaria no processo evolutivo.

Esse africano, em linhas gerais, é transportado para o Brasil como escravo, guardando ainda a embrionária proto-síntese religiosa que irá ressurgir na Umbanda, cuja missão é resgatar a Sabedoria Eterna. Foi no Planalto Central Brasileiro, portanto, que efervesceu a Teogonia do Aumbandan que, de certa forma, hoje é estudada nos templos maçônicos, teosóficos, rosacruzes e outras escolas de mistério, e ainda nas casas espíritas, e que o Movimento Umbandista, agora em pleno Solo Pátrio Brasileiro, está reunindo e metodizando seus conhecimentos através da Umbanda Esotérica.

O amalgamento dessas três raças, o branco-português, o negro e o índio, que cruzaram Hierarquias Supremas do Mundo Espiritual, tudo sob a coordenação de Ismael, sustentará a unidade nacional, não permitindo a fragmentação da base geográfica da Nação Brasileira.

A religiosidade do povo brasileiro estava pronta para adentrar o século XX.

A interiorização e o desbravamento dos rincões do oeste foram executados por bandeirantes, acompanhados por missionários católicos, a Independência Brasileira foi arquitetada por homens freqüentadores dos templos maçônicos e, por fim, a república é proclamada com a impetuosidade dos que estudavam as máximas de Augusto Comte, através do Positivismo.

Esse é o motivo pelo qual o Brasil é o País onde todas as religiões têm sua “Luz ao Sol”, proporcionando ao povo da terra de Santa Cruz, um elevado sentimento devocional às coisas sagradas. O que se percebe é a essencialidade de um Deus Universal, habitando o interior do campesino, que tira o seu sustento da terra, até o gestor público que, às vezes, ocupa elevados cargos na escala governamental, não perdendo de vista a sua fé na Suprema Ordem Cósmica.

O espírito de Ramatis, através da psicografia de Amélia Paoliello Marques na obra “Brasil – Terra de Promissão” traduz bem esse sentimento da seguinte forma:

...É, o povo mais intuitivo do mundo, onde o maloqueiro carrega um “santinho” no pescoço e o político famoso “sarava” o seu guia; onde o médico receita o medicamento famoso para o cliente, mas vence a sua própria insônia com o chá de ervas prescrito pela “preta velha”! É, finalmente, a nação abençoada, onde os próprios militares de toda graduação hierárquica organizam-se em “cruzadas militares espíritas”, trocando a espada da morte pela paz de espírito, a sementeira do ódio pela jardinagem do Amor, o manual de guerra pelo Evangelho do Cristo.

Hosanas, pois, ao Brasil, por ser, realmente, a “Terra de Promissão”!

Todo esse enredo missionário do País do Cruzeiro é o esteio para não permitir o desespero diante do caos que o mundo globalizado vem nos apontando.

Tráfico de armas, biopirataria, aquecimento global, narco-terrorismo, comercialização de pessoas, proliferação de máquinas caça-níquel, enfim, a transnacionalização do crime produzida por uma raça humana, causando as mazelas agonizantes do milênio que se inicia.

O sucesso da tecnologia do biocom-bustível, a pesquisa com drogas contra a AIDS, o desenvolvimento do reator centrifugado para o enriquecimento do urânio, a incursão da prospecção do petróleo em águas profundas são algumas das iniciativas do povo brasileiro, que guarda em si a mescla dos sangues de todas as raças, o que, talvez, fá-lo possuidor das mais enlevadas características de povo amigo e acolhedor dos demais irmãos planetários, não obstante a crise de valores éticos e morais demonstrados por seus representantes políticos que se encastelam nas instituições da República de hoje.

Brasil, Brasil! Da Escola de Sagres à Organização das Nações Unidas; do misterioso e irrequieto Infante D. Henrique ao Marques de Olinda, precursor do estudo Espírita em seu solo; da possante Raça Vermelha que habitou o seu Planalto Central ao seu povo sôfrego, mas abençoado por Deus; sua missão é desfraldar e encravar, no Coração do Mundo, a flâmula da paz e da compreensão, vivendo harmonicamente, em proveito da vitória de toda a humanidade.

Eis aí, portanto, a missão do Povo Brasileiro, nascido das entranhas de uma Nação Santificada, reduto do pensamento Crístico que eclodirá neste Terceiro Milênio que se inicia.

Pátria, Trabalho e Solidariedade!

Antonio Celente Videira, Conselheiro e Diretor-Financeiro da Fundação Cristã Espírita Cultural Paulo de Tarso - acelente@terra.com.brEste endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.




Nenhum comentário:

Calendário Assistência 2018

TENDA ESPÍRITA MAMÃE OXUM

CALENDÁRIO ASSISTÊNCIA - 2018

C.E. Miguel Arcanjo e Tenda Espirita Mamãe Oxum-

Rua Francisco Framback, 91 E – Cascatinha - Petrópolis - RJ

BAIXE O CALENDÁRIO 2018, CLICANDO AQUI

ABRIL

MAIO

JUNHO

06 – sexta-feira – Pretos Velhos

02 – quarta-feira – Palestra

11 – quarta-feira – Estudo daUmbanda

04 - sexta-feira – Pretos Velhos

01 – sexta-feira – Pretos-Velhos

06 – quarta-feira – Estudo da Umbanda

13 – sexta-feira - Saúde

09 - quarta-feira- Estudo da Umbanda

08 – sexta-feira – Saúde

18 – quarta-feira – Doutrina Vovó Catarina

11 - sexta-feira – Saúde

13 – quarta-feira – Saudação Aos Exus – Bênção dos Pães – 20h

20 – sexta-feira - Caboclos

13 – Domingo – Saudação aos Pretos Velhos

Às 18h

15 – sexta-feira – Caboclos

23 – segunda-feira – Saudação Ogum – 20h

25 – quarta-feira – Reunião Interna

16 – quarta-feira – Doutrina - Vovó Catarina

20 – quarta-feira – Doutrina – Vovó Catarina

18 – sexta-feira – Caboclos

22 – sexta-feira – Exus

27 – sexta-feira – gira dos Malandros

25 – sexta-feira –Saudação à Sta. Sara,Povo Cigano

27 – quarta-feira – Reunião Interna

30 – quarta-feira – Reunião Interna

29 – sexta-feira – Não tem Gira

JULHO

AGOSTO

SETEMBRO

04 – quarta-feira – Palestra

01 – quarta-feira – Palestra

06 – sexta-feira – Pretos Velhos

03 – sexta-feira – Pretos Velhos

05 – quarta-feira – Doutrina

11 – quarta-feira – Estudo da Umbanda

08 – quarta-feira – Estudo da Umbanda

07 – sexta-feira – Não tem Gira

13 – sexta-feira – Saúde

10 – sexta-feira – Saúde

12 – quarta-feira – Estudo da Umbanda

18 – quarta-feira – Doutrina – Vovó Catarina

12 – domingo – Calunga – 09h

14 – sexta-feira – Saúde

20 – sexta-feira – Caboclos

16 – quinta-feira – Saudação à Obaluaê e Omolu 20h

19 - quarta-feira – Doutrina – Vovó Catarina

25 – quarta-feira – Reunião Interna

17 – sexta-feira - Não tem Gira

21 – sexta-feira – Não Tem Gira

27 –– sexta-feira - Malandros

22 – quarta-feira – Doutrina – Vovó Catarina

23 – Domingo – Saudação à Ibeijada - às 17h

24 – sexta-feira – Caboclos

31 – sexta-feira - Exus

27 – quinta-feira – Distribuição Doces 15h

28 – sexta – feira - Ciganos

OUTUBRO

NOVEMBRO

DEZEMBRO

.03 – quarta-feira – Reunião Interna

01 – quinta-feira – Esteira das Almas

01 - Confraternização

05 – sexta-feira – Pretos Velhos

02 – sexta-feira – Não tem Gira

07 – sexta-feira – Saudação à Oxum e bênção dos Pretos Velhos – 20h

12 – quinta-feira – Cachoeira / Mata

07 – quarta-feira –Doutrina

08 – Oferendas na Praia – saída 17h

09 - sexta-feira – Saúde

17 – quarta-feira – Estudo da Umbanda

15 – Feriado – Saudação aos Orixás

19 – sexta-feira – Caboclos

16 – sexta-feira – Não tem Gira

24 – quarta-feira – Doutrina – Vovó Catarina

23 – sexta-feira – Exus

26 – sexta-feira - Malandros

29 – quarta-feira – Doutrina – Vovó Catarina

30 – sexta-feira –Festa da Malandragem

A giras de sextas-feiras têm início às 20 horas. As fichas são distribuídas a partir de 19:45 até as 21:30. As pessoas que chegarem após este horário receberão apenas o passe, sem consulta.

Nossa casa não cobra consultas nem trabalhos, porém aceitamos colaboração de materiais de uso como velas, fósforos, charutos, fumos, etc...

ATENÇÃO: NÃO É PERMITIDO NO RECINTO PESSOAS COM MINI-SAIAS, SHORTS OU BERMUDAS CURTAS, BLUSAS MUITO DECOTADAS OU MINI-BLUSAS, CAMISETAS TIPO MACHÃO.

A CARIDADE NÃO SERÁ NEGADA, PORÉM RESPEITEM O TEMPLO RELIGIOSO.


BAIXE O CALENDÁRIO 2018, CLICANDO AQUI



Printfriendly