sábado, maio 07, 2011

Homenagem a todas as Mães




Gostaria de homenagear a todas as mães do mundo, quer na matéria ou na espíritualidade, pela passagem de mais esta data significativa.
Que possamos valorizar estas heroínas que ombreiam conosco no dia-a-dia e, que muitas vezes, só as valorizamos quando já não estão mais aqui....
Que possamos valorizar todos estes entes queridos que pela sua condição de mãe tão próximas já estão de Jesus.

CARLOS EDUARDO CENNERELLI


IMAGEM DE MARIA SANTÍSSIMA RECEBIDA PELA MEDIUNIDADE DE CHICO XAVIER


MÃE

Nunca encontrei alguém que te igualasse

No tesouro de afeto e de carinho.

Ah!... quanto me atrasei para encontrar-te,

Anjo renovador do meu caminho!...

Um dia, retirei-me de teus braços,

A ver, lá fora, o que eu não conhecia...

Palmas, salões, tertúlias e troféus,

Destaques e grinaldas de alegria...

Flor de emoção em versos juvenis,

No sonho de atingir a vida, a dois,

Parecia que as festas me adornavam

Para as desilusões que viriam depois.

Mas quando os desenganos me buscaram,

Em forma de amargura, abandono e mudança,

Lembrava-me de ti, a servir na humildade,

E erguia-me, de novo, ao calor da esperança.

Hoje, torno a buscar-te, Mãe Querida,

Na luz de teu amor, alto e profundo...

Dá-me de tua paz... Em ti encontro

O próprio coração de Deus no mundo!...

Maria Dolores

(Mensagem recebida pelo médium Francisco Cândido Xavier, em reunião pública do Grupo Espírita da Prece,
na noite de 15 de março de 1986, em Uberaba, Minas Gerais.)




Chico e uma Mãe Aflita

As palavras de Chico Xavier estão sempre revestidas de luz, descortinando novos caminhos para os nossos passos ... Ele é uma fonte inesgotável de bênçãos, dessedentando os corações cansados de sofrer no vale das provações humanas ... Por isto, quando ele fala, todas as vozes se emudecem e todos os ouvidos se aguçam, a fim de guardar-lhe os ensinamentos nos escrínios da própria alma.

Recordo-me de que, há muito tempo, uma mãe aflita, ao debruçar-se-lhe sobre os ombros, indagou em lágrimas:

"Chico, o que vou fazer agora da minha vida?! ... Perdi os meus filhos, Chico, num desastre ... Morreram os dois ... A minha dor é terrível ... Estou desesperada ..."

O episódio nos comovia a todos, no "Grupo Espírita da Prece", em Uberaba.

Fitando-a com os olhos igualmente repletos de lágrimas, o incansável servo do Cristo lhe respondeu:

-"Filha, o nosso Emmanuel sempre me diz que a aceitação de nossos problemas, sejam eles quais forem, representa cinqüenta por cento da solução dos mesmos; os outros cinqüenta por cento vêm com o tempo ... Tenhamos paciência e fé, pois não estamos desamparados pela Bondade Divina."

Bastou que ouvisse estas palavras do Chico, para que aquela senhora se acalmasse em uma cadeira próxima, começando a refletir sobre os Desígnios de Deus.

De nossa parte, ficamos também, em silêncio, a meditar na grandeza da lição daquela hora, a respeito da aceitação do sofrimento, perguntando a nós mesmos quantas dores maiores poderíamos evitar, se nos resignássemos antes as dores aparentemente sem remédio que nos visitam no cotidiano ...

Página copiada do livro "Chico Xavier, Mediunidade e Ação", de Carlos Antônio Baccelli, de Uberaba, MG

Mamãe, fique comigo

Quando fomos buscar o pequeno Betinho para a necessária recuperação espiritual, ele mesmo nos entregou a seguinte carta que endereçara, na véspera, ao coração maternal:

Querida Mãezinha:

Espero você para ficar comigo.

Ontem olhei a chegada dos ônibus até que o último aparecesse.

Chorei muito quando vi que você não vinha.

Papai viajou e Dona Júlia voltou para a casa dela, depois do lanche. Ao sair, fechou as portas e janelas. Agora estou com medo de ficar sozinho.

Tenho sono, mas a cabeça está doendo e a tosse voltou com muita força.

Não posso dormir, pensando em você.

A casa parece muito grande e qualquer barulho me assusta.

Mamãe, porque tanta demora para você voltar?

Se eu estivesse crescido, iria procurar você, mas os meninos de D. Francina me disseram que não devo tomar ônibus sem a companhia de gente grande.

Ontem, minha pipa apareceu rasgada e, quando corri para chamar Dona Júlia, caí num poço de lama e feri a cabeça.

Hoje, caí quatro vezes, dentro de casa.

Não pude ir à escola.

Ninguém lavou minha roupa, mas os sapatos eu mesmo engraxei.

Estou escrevendo com tanta saudade, que estou com vontade de chorar.

Não me deixe sozinho.

Venha depressa.

Mamãe, fique comigo.

Muitos beijos de seu filho

Betinho

Nesta carta, beijamos a ternura de uma criança e, com a permissão da querida destinatária, fazemos desta página a nossa homenagem ao luminoso Dia das Mães.

MEIMEI

(Página recebida pelo médium Francisco Cândido Xavier, em reunião pública na Comunhão Espírita Cristã, em Uberaba, Minas, na noite de 15/março/75).





Mãe

Espírito Meimei - Médium Chico Xavier

Um dia, a mulher solitária e atormentada chegou ao Céu e, rojando-se em lágrimas, diante do Eterno Pai, suplicou:

- Senhor, estou só! Compadece-te de mim. Meu companheiro fatigado, cada dia, pede-me repouso e devo velar-lhe o sono!

Quando triunfa no trabalho, absorve-se na atividade mais intensa e, muita vez distraído, afasta-se do lar, onde volta somente quando exausto, a fim de refazer-se. Se sofre, vem a mim, abatido, buscando restauração e conforto...

Tu, que deste flores ao arvoredo e que abriste as carícias da fonte, no seio escuro e ressequido do solo, consagras-me, assim, ao isolamento? Reservaste a Terra inteira ao serviço do homem que se agita livre e dominador sobre montes e vales, e concedes a mim apenas o estreito recinto da casa, entre quatro paredes, para meditar e afligir-me sem consolo? Se sou a companhia do homem, que se vale de mim para lutar e viver, quem me acompanhará na Missão a que me destinas?

O senhor sorriu complacente, em seu trono de estrelas fulgurantes e, afagando-lhe a cabeça curvada e trêmula, falou compadecido:

- Dei o mundo ao homem, mas confiarei a vida ao teu coração.

Em seguida, colocou-lhe nos braços uma frágil criança.

Desde então, a Mulher fez-se Mãe e passou a viver plenamente feliz.

Fonte: Jornal "A Caridade" - Maio de 1995



À Minha Mãe

Cid Samuel Carneiro da Silva

Faz tanto tempo, Mãe

Que eu não te sinto,

Que eu não te vejo,

Que eu não te abraço.

E o tempo foi passando,

A saudade, que eu pensei,

Fosse acabar um dia,

Vai aos poucos aumentando.

Eu queria, hoje, te abraçar,

Olhar teus olhos, cheios de ternura,

Recostar minha cabeça no teu peito,

Ouvir o pulsar do teu coração,

Enquanto em teu regaço,

Afagas minha cabeça.

Eu queria ver o teu sorriso,

A tua alegria,

Ouvir ecoar da tua boca,

A palavra carinhosa,

A me chamar, Meu Filho.

Queria receber o teu abraço,

Quando de manhã bem cedo,

Eu ia sempre te ver,

Ou, à noitinha, quando cansado,

Voltava do meu trabalho,

E te encontrava recostada,

Na cadeira da varanda,

Sozinha, a me esperar.

Ah, que tristeza mãezinha,

Ter te perdido tão cedo!

E eu ter que ficar aqui...

Hoje, eu queria estar contigo,

E correndo te dar meu beijo,

Te entregar o meu presente,

Neste dia que é das Mães.

Já que não posso, mãezinha,

Fica a saudade incontida,

Que o tempo já não desfaz...

Mãe, quantas vezes,

Debruçado à janela,

Eu te procuro no espaço,

No infinito, nas estrelas,

Ou, num pequeno cometa,

Que deixa um rastro de luz...

A sua bênção, minha Mãe,

E que hoje tu estejas,

Com as bênçãos de Jesus!




MÃE, DEUS TE ABENÇOE !

Mãe; minha querida mãe! Alma boa que me destes, a oportunidade santa de nascer,não me deixes sem esperança no meu novo amanhecer!

Não te afastes do meu lado;ensina-me a orar no abençoado dom de trabalhar!...Abre a porta de minha alma,para o infeliz e sofredor!

Sei,mãezinha querida,que não te afastas dos que sofrem e choram.Como o anjo que protege,amparas,consolas,esclareces....

E nesse vai-vem do Céu para a Terra, e da Terra para o Céu,ganhas riquezas eternas para ti e para os teus.

Num dia mãe querida,quando o meu exílio terminar,quero encontrar-te de novo,cantando para mim, a canção de ninar.

Quero sentir-me amparada,consolada pôr teu amor...e,neste dia mãezinha,desejo-te apresentar, a cota do meu trabalho,que contigo, as mães que sofrem, em seus corações venha a depositar.

Tudo te devo mãezinha!meu carinho ,meu amor...tudo me destes , a renúncia,o sacrifício; o carinho, a dedicação...Não recusastes perante a dor.Ao contrário, a transformastes em bênçãos de amor.Meu sorriso,era teu sorriso,tua alegria em forma de flor...

A saúde que eu tinha,era a tua saúde também....e, quando doente ficava...meu Deus,meu Pai....só faltava minha mãe morrer! E o impulso de teu amor,era tão grande para me salvar,que esquecias a doença para poder me curar...

Tudo me destes mãe querida!amparo,proteção.Me guiastes entre espinhos,oferecendo-me sempre sempre, o carinho em forma de flor.E do perfume extraído, que vinha do Criador,tenho crescido amparada pelo exemplo de teu amor.

Não me abandones anjo amigo,do lugar em que te encontres,pede ao Pai que te ilumine,para que jamais te falte a luz,que me encaminhe e me abençoe...

Tudo te devo mãe santa!As alegrias terrenas,são frutos de teu amor.As alegrias celestes,vem por teu intermédio,do Criador.Não te esqueças neste dia,em que o mundo abraça as mães,de abraçar as mães que sofrem sem o amparo de um pai.Como a mim outrora,quando chorava de dor,transmite-lhes esperança,tranqüilidade,paz,amor!...São nossas irmãs queridas,que nunca se cansam de ouvir,as vozes do Criador.E tu mãe que percorres, a travessia do Além,não te esqueças,que pôr ser pequena,perante Deus,és grande também.Leva desta forma as mães queridas,que com tanto amor o Pai criou, o ramalhete de lágrimas orvalhadas numa flor.

Mãe santa;mãe sublime;mãe eterna para nós,teu carinho é nossa meta,tua renúncia,o exemplo do amor!Deus te pague e te abençoe anjo tutelar da Criação.

(um irmao de luz)

PAZ,AMOR E CARIDADE





SÚPLICA DE FILHO

Lembro-te, mãe... A noite avança...

E sainda, apressado, para a orgia.

Disseste-me, escorado numa tia:

“Fica hoje... Atende-nos... descansa...

Voltei para encontrar-te em agonia!...

A morte angelizou-te a face mansa...

Chorei qual se voltasse a ser criança!...

Eras o meu tesouro e eu não sabia...

De prazer em prazer, matei-me aos poucos...

Veio a morte e cortou-me os sonhos loucos,

Lamentando-me a vida gasta em vão!...

Estou perdido, entre imensos espaços...

Vem guardar-me, de novo, nos teus braços,

Mãe smpre amada de meu coração!...

Luiz Mendes

(Soneto recebido pelo médium Francisco Cândido Xavier, em Culto do Evangelho no Lar, em sua própria residência, pela mediunidade auditiva, na noite de 2 de Março de 1996, em Uberaba, Minas.)




MÃE SOZINHA


Dizem ¨mulher da alegria¨, quando ela passa na rua;

A pobre mãe continua, os olhos fitos no chão!...

Quanto fel, quanta agonia nessa mulher que condenas!...

Ninguém lhe conhece as penas cravadas no coração.

Tristeza no desconforto, sem palavra que a revele, trapos dourados na pele, trás angústia por dever.

Viúva de um vivo morto, ei-la que segue sozinha, tem ao longe, a pobrezinha um filho quase a morrer.

Já bateu a tanta porta, já pediu a tanta gente!...

Dói-lhe a ferida pungente de ter sido mãe sem lar.

Abatida, semi-morta, apenas vê no caminho a febre e a dor do filhinho que a morte lhe quer roubar.

Tu que cresceste na estrada, desde o berço de ouro e rendas, entre mimos e oferenda de paz, segurança e luz, fita essa mãe desolada, na penúria que a consome.....

Talvez que ela tenha fome ao peso da própria cruz.

Não lhe zombes da amargura, também foi criança, um dia, brincava, estudava e ria rosa ao fulgor da manhã;

Também foi bela e foi pura, hoje, nas mágoas que trilha, poderia ser nossa filha assim como é nossa irmã.

Mãe na dor!...

Bendita seja!...

Escrava de toda hora, honra as lágrimas que chora, nas dores por onde vai!...

Sem esposo que a proteja, sem arrimo, sem tutela, encontra a benção do Pai.

Irene de Souza Pinto - Psic. Chico Xavier





HOMENAGEM ÁS MÃES


Mãe I

Mãe II

Mãe III

Mãe IV

Mãe V

Mãe VI

Mãe VII

Mãe VIII

Mãe IX

Mãe X

Mãe XI

Mãe XII

Mãe XIII

Mãe XIV

Mãe XV

Mãe XVI

Mãe XVII

Mãe XVIII

Mãe XIX

Mãe XX

Mãe XXI

Mãe XXII

Mãe XXIII

Mãe XXIV

Mãe XXV

Mãe XXVI

Mãe XXVII

Mãe XXVIII

Mãe XXIX

Mãe XXX

Mãe XXXI

Mães I

Mães II

Mãezinha I

Mãezinha II

Mães da Terra

Mãe e Filho

Mãe que Roga

Mãe que Chora

Mães Gloriosas I

Mães Gloriosas II

Mãe Maior

Mãe Sozinha

Maior Tesouro

Mater

Maternidade

Minha Mãe I

Minha Mãe II

Menina Mãe

Nossa Mãe

Ser Mãe I

Ser Mãe II

Maria

Mulher I

Mulher II

Amor de Mãe I

Amor de Mãe II

Amor e Vida

Ave Maria I

Ave Maria II

Ave Maria III

As Mães

Minha Mãe I

Minha Mãe II

Minha Mãe III





A Alma de Minha Mãe

A Criança e Deus

Afirmação

Agradeço

Almas Cativas

Alegria

Alô Mamãe

A Minha Mãe

A Mulher e o Homem

Amo Você

Amor de Mãe

Amor Materno I

Amor Materno II

Amor Materno III

Anjo Tutelar

Ao Nível Semântico

A Virgem

Belas Flores

Benção do Céu

Berço e Mãe

Carta a Mãe

Carta à Minha Mãe I

Carta à Minha Futura Mãe

Carta à Minha Mãe II

Carta às Mães

Carta Para a Mãe

Casório

Chico e uma Mãe Aflita

Cópias

Chorando

Coração I

Coração II

Coração Materno

Coração de Mãe

Corações de Mães

Criação

De Filho para Mãe

De Tudo

Deus Criou as Mães

Deus Fez

Dos Guias

Em Louvor a Mãe

Em Louvor das Mães

Empréstimos de Deus

Escultura

Estendei as Mãos

Eterna Dor

Evoluir

Grávida

Gloria

Homenagem às Mães I

Homenagem às Mães II

Infinita Bondade!

Lição das Lições

Louvor as Mães I

Louvor as Mães II

Luz

Luz do Além

Luz do Evangelho

Mãe, Fique Comigo

Mãe Querida

Mão Bondosa e Pura

Mãe das Mães

Mãe e Filho

Maria Nossa Mãe

Mensageira

Mensagem Maternal

Moldura de Mãe

Mulheres Tecelãs

Ninguém Pode

Não Me Mate

No Jardim

Notas de Gratidão

Nunca Morrem

O Anjo Amor

O Claustro Divino

Obrigada Mãe

Oi Mamãe

O Melhor Presente

Oração às Mulheres

Oração das Mães

Oração de Mãe

Oração de Uma Mãe

Ornadas

Página de Amor

Para Sempre, Mãe

Perto de Deus

Petição de Filha

Por Dinheiro

Porque as Mães Choram

Prece a Maria

Prece a Mãe Santíssima

Quadro Lindo

Querida Mamãe

Querida Mãe

Reencarnação

Renascer

Retrato de Mãe

Roseira de Rosas

Sabedoria

Sacrifício de Mãe

Sagrada Mansão

Santuário

Santuário Materno

Saudade I

Saudade II

Saudade III

Saudade de Minha Mãe I

Saudade de Minha Mãe II

Sempre Mulher

Sertaneja

Ser Mãe I

Ser Mãe II

Sublime Gestação

Súplica de Filho I

Súplica de Filho II

Tempo de Mães

Tendes Filho

Toda Mãe

Ternura

Trilhas

Trovas da Mulher

Trovas de Mãe

Uma Mãe Especial

Um Brado Contra o Aborto

Um Dia

Virgem Mãe

Nenhum comentário:

Calendário Assistência 2017

TENDA ESPÍRITA MAMÃE OXUM

CALENDÁRIO ASSISTÊNCIA - 2017.

C.E. Miguel Arcanjo e Tenda Espirita Mamãe Oxum-

Rua Francisco Framback, 91 E – Cascatinha - Petrópolis - RJ

ABRIL

MAIO

JUNHO

23 – Reabertura do Terreiro às 20h – Saudação à Ogum

02 – sexta-feira – Pretos Velhos

28 - sexta-feira - Exus

05 - sexta-feira – Pretos Velhos

07 – quarta-feira – Estudo da Umbanda

10 - quarta-feira- Estudo da Umbanda

09 – sexta-feira – Saúde

12 - sexta-feira – Saúde

13 – terça-feira – Saudação Aos Exus – Bênção dos Pães – 20h

13 – sábado – Saudação aos Pretos Velhos

16 – sexta-feira – Não tem Gira

17 – quarta-feira – Doutrina - Vovó Catarina

21 – quart-feira – Doutrina – Vovó Catarina

19 – sexta-feira – Caboclos

23 – sexta-feira – Caboclos

24 – quarta-feira –Saudação à Sta. Sara,

e Povo Cigano

28 – quarta-feira – Doutrina

26 – sexta-feira - Malandros

30 – sexta-feira - Exus

JULHO

AGOSTO

SETEMBRO

05 – quarta-feira – Doutrina

02 – quarta-feira – Estudo da Umbanda

01 – sexta-feira – Pretos Velhos

07 – sexta-feira – Pretos Velhos

04 – sexta-feira – Pretos Velhos

06 – quarta-feira – Estudo da Umbanda

12 – quarta-feira – Estudo da Umbanda

09 – quarta-feira – Doutrina

08 – sexta-feira – Saúde

14 – sexta-feira – Saúde

11 – sexta-feira – Saúde

13 – quarta-feira – Doutrina

19 – quarta-feira – Doutrina – Vovó Catarina

16 – quarta-feira – Saudação à Obaluaê e Omolu

15 – sexta-feira – Caboclos

21 – sexta-feira – Caboclos

18 – sexta-feira – Caboclos

20 - quarta-feira – Doutrina – Vovó Catarina

28 – sexta-feira - Exus

23 – quarta-feira – Doutrina – Vovó Catarina

22 – sexta-feira – Não Tem Gira

25 – sexta-feira – Malandros

24 – Domingo – Saudação à Ibeijada - às 17h

30 – quarta-feira – Doutrina ou Palestra

27 – quarta-feira – Distribuição Doces

29 – sexta - Exus

OUTUBRO

NOVEMBRO

DEZEMBRO

.04 – quarta-feira – Estudo da Umbanda

01 – quarta-feira – Terreiro Fechado

02 - Confraternização

06 – sexta-feira – Pretos Velhos

03 – sexta-feira – Não tem Gira

08 – sexta-feira – Saudação à Oxum e bênção dos Pretos Velhos – 20h

11 – quarta-feira - Não tem Doutrina

08 – quarta-feira – Estudo da Umbanda

09 – Oferendas na Praia – saída 17h

12 – quinta-feira – Cachoeira / Mata

10 - sexta-feira – Saúde

13 – sexta-feira – Não tem Gira

15 – Feriado – Saudação aos Malandros

18 – quarta-feira – Doutrina – Vovó Catarina

17 – sexta-feira – Caboclos

20 – sexta-feira – Caboclos

22 – quarta-feira – Doutrina

25 – quarta-feira – Doutrina – Doutrina ou Palestra

24 – sexta-feira – Exus

27 – sexta-feira - Ciganos

29 – quarta-feira – Doutrina – Vovó Catarina

A giras de sextas-feiras têm início às 20 horas. As fichas são distribuídas a partir de 19:45 até as 21:30. As pessoas que chegarem após este horário receberão apenas o passe, sem consulta.

Nossa casa não cobra consultas nem trabalhos, porém aceitamos colaboração de materiais de uso como velas, fósforos, charutos, fumos, etc...

ATENÇÃO: NÃO É PERMITIDO PARA ATENDIMENTO, PESSOAS COM MINI-SAIAS, SHORTS OU BERMUDAS CURTAS, BLUSAS MUITO DECOTADAS OU MINI-BLUSAS, CAMISETAS TIPO MACHÃO.

A CARIDADE NÃO SERÁ NEGADA, PORÉM RESPEITEM O TEMPLO RELIGIOSO.

(Baixe o seu calendário em PDF, clicando aqui)

Printfriendly