domingo, abril 05, 2015

Comemoração da Anunciação da Santissima Virgem






COMEMORAÇÃO DA ANUNCIAÇÃO DA SANTÍSSIMA VIRGEM, EM SESSÃO DE 25 DE MARÇO DE 1898





Leram-se, do cap. I do Evangelho de Lucas, os v. 26 a 55 e a Comunicação do Anjo
Gabriel.

TODOS, EM HUMILDE CONCENTRAÇÃO, DERRAMANDO LÁGRIMAS, ESPERAVAM.


O MÉDIUM FREDERICO, INSTRUMENTO DO BOM GUIA, EM ESTADO DE SONAMBULISMO, COM OS OLHOS FECHADOS, MAS EM ATITUDE DE QUEM VIA NO ESPAÇO, DESCREVEU O SEGUINTE:


TEM A GRANDEZA DE UM TEMPLO ABERTO ESTE PEQUENO RECINTO! LUZ A JORROS! A PRESENÇA DE ESPÍRITOS DA MAIOR ELEVAÇÃO AFORMOSEIA O SUBLIME QUADRO QUE VEJO NESTE MOMENTO.

COMO PROJETADO DE LONGÍNQUO FAROL, UM FEIXE DE LUZ VEM ATÉ NÓS.

LADEANDO-O, VEJO ESPÍRITOS ANGÉLICOS EM ÊXTASE. VEJO TAMBÉM, SORRIDENTE, COM AS SUAS MÃOZINHAS COMO QUE APARANDO O REFERIDO FEIXE DE LUZ, A BOA CELINA, A DESCER PARA JUNTO DE NÓS.
AGUARDAM-NA OS NOSSOS GUIAS, OS NOSSOS PROTETORES, PRESIDIDOS PELO ANJO GABRIEL.


O MÉDIUM CHORA E, LEVANTANDO-SE, FALA COM VOZ PAUSADA E SUAVE:

“PAZ.


A POMPA DAS CATEDRAIS, OS HINÁRIOS DAS IGREJAS, O INCENSO QUE SOBE EM NUVENS, OS CÂNTICOS SACROS QUE REBOAM NO ESPAÇO NÃO TÊM MAIOR VALIA, PARA O CORAÇÃO DA VIRGEM MÃE, DO QUE ESSA

PRECE, DITADA PELO AMOR, LAVADA PELO VOSSO PRANTO, VIBRANTE, DENTRO DA CATEDRAL DOS VOSSOS CORAÇÕES!

HUMILDE E BOA, SANTA E PURA, AO SEU ESPÍRITO AMORÁVEL SÓ PODE CHEGAR AQUILO QUE EXPRIME AMOR.

HUMILDE E SANTA, COMPASSIVA E BOA, SÓ LHE PODEM CHEGAR OS SENTIMENTOS QUE SAEM PUROS DAS ALMAS CRISTÃS E VÃO, COMO VERDADEIRO INCENSO, FENDENDO OS ARES, DIZER, JUNTO AO TRONO DE SUA GLÓRIA, QUE ESTÉREIS NÃO FORAM AS SUAS AMARGURAS, QUE EM VÃO NÃO BANHOU A TERRA O SANGUE DO SEU AMADO FILHO.

MEUS FILHINHOS, COMEMORAIS A ANUNCIAÇÃO FEITA À MAIS PURA DAS MULHERES; FAZEI PASSAR SOB OS VOSSOS OLHOS O SUBLIME QUADRO DA HUMILDADE DA VIRGEM, EXPONDO-SE ABNEGADAMENTE, COMO JÁ FOI DITO, AO JUÍZO TEMERÁRIO DAS MULTIDÕES.

POIS BEM, COMEMORANDO ESSE FATO GRANDIOSO, ORASTES, E ESSA ORAÇÃO, EU VÔ-LO AFIRMO, CHEGOU AO SEIO DE MARIA, QUE VÔ-LA DEVOLVE EM BÊNÇÃOS.

ELA ME DISSE:

“VAI, CELINA, E AFIRMA AOS DISCÍPULOS NOVOS DO MEU AMADO FILHO, QUE A HUMILDE ESCRAVA DO SENHOR JAMAIS DE SUAS ALMAS AFASTARÁ OS OLHOS. TÊ-LOS-EI SEMPRE POSTOS, ASSIM SOBRE OS QUE, PELO FRUTO DE SUAS OBRAS, SE ENVOLVAM NAS ONDAS DA MISERICÓRDIA  DO SENHOR, COMO SOBRE OS QUE, PELO INFORTÚNIO DE SEUS ERROS, SOFRAM OS RIGORES DE UMA AFLITIVA EXISTÊNCIA NA TERRA.

“DIZE-LHES, CELINA, QUE INVOQUEM O FAROL DOS JUSTOS E QUE, SE TENHO ALGUMA LUZ EM MINHA ALMA, PELO AMOR DO MEU DEUS, PELO AMOR DO MEU JESUS AMADO, ESSA LUZ NÃO SERÁ PARA ILUMINAR OS JUSTOS, QUE DELA NÃO PRECISAM; SERÁ, ANTES, PARA OS POBRES PECADORES, QUE NÃO SOUBERAM SEGUIR A TRILHA LUMINOSA,

TRAÇADA POR AQUELE QUE PASSOU POR MEU FILHO DIANTE DOS HOMENS.

“VAI, CELINA, NESTE RAIO DE LUZ, E LEVA A ESSES FILHINHOS A CERTEZA DE QUE MARIA, A HUMILDE FILHA DO SENHOR, LHES MANDA A SUA BENÇÃO, NESTE DIA DE TANTA GLÓRIA PARA ELA!”

CUMPRO ASSIM UMA ORDEM, DIZENDO-VOS: RECEBEI AS BÊNÇÃOS DA VIRGEM SANTÍSSIMA E QUE ESSAS BÊNÇÃOS SE INFILTREM NOS VOSSOS ESPÍRITOS E LIMPEM AS VOSSAS ALMAS DE TODAS AS IMPUREZAS, PARA PODERDES SEGUIR A ESTRADA DE LUZ, QUE AINDA HÁ POUCO VIU O VOSSO COMPANHEIRO, ATÉ CHEGARDES A DEPOR COM OS VOSSOS LÁBIOS UM ÓSCULO NAS SANTÍSSIMAS MÃOS DA MÃE PURÍSSIMA E SANTÍSSIMA.

CONFIAI PLENAMENTE NO SEU AMOR E NAS SUAS DIVINAS PROMESSAS, QUE NÃO DEIXAM DE CUMPRIR-SE, PORQUE DESCEM DO CÉU.

NÃO VOS ENTIBIEM OS ESPÍRITOS OS INFORTÚNIOS E AS ANGÚSTIAS. NAS AFLIÇÕES EM QUE VOS ACHEIS, DIZEI, CERTOS DO SEU AMPARO E
DA EFICÁCIA DA SUA MISERICÓRDIA: “SEDE COMIGO, OH! VIRGEM
IMACULADA”.

CELINA CONTINUA O MÉDIUM:
OH! MEUS COMPANHEIROS, QUANTO SOIS FELIZES! ENCERRAI A VOSSA REUNIÃO, CERTOS DE QUE GANHASTES MUITO BEM GANHO O VOSSO DIA.

BITTENCOURT
A sessão se encerrou, rendendo-se graças a N. S. Jesus Cristo e pedindo-se pelos sofredores.
Médium: Frederico. No Grupo Ismael

SESSÃO COMEMORATIVA DO NASCIMENTO DE NOSSA MÃE SANTÍSSIMA, A 8 DE SETEMBRO DE 1898

“O Misericordioso Deus, baixando os olhos sobre a mísera humanidade, viu que grandes eram suas dores; que, para o concerto de gemidos que se elevava do mundo, necessidade de consolação havia. Deus viu isso e, apiedando-se ─ nasceu Maria”.

*

Viu o Senhor que as plantas todas que nasciam na mísera Terra vinham de espinhos eriçadas, quase privadas de perfumes, como de esperanças os corações dos homens. Deus se apiedou da falta

de flores nelas e, pensando na rosa imarcescível da pureza ─
nasceu Maria.

*

Negra noite tombara sobre a existência do homem; seu caminhar era incerto, de abrolhos estavam seus caminhos juncados. Deus então pensou na luz do Amor e ─ Maria nasceu!

*

Quando, nos campos da Terra, os pastores cantavam, dos balidos das ovelhinhas acompanhados, as vozes de seus cantos eram confusas e tão sem harmonia, que o Supremo Senhor, deles apiedando-se, foi buscar as melodias do Céu e, lançandoas ao mundo ─ nasceu Maria!

*

O pesado batel da existência vagava em tormentoso mar de dores;

ermos os mares e o Céu escuro. Apiedou-se Deus dos míseros navegantes e ─ nasceu Maria!

*

Felizes dos que, avaros, sabem guardar da misericórdia o grão tesouro: a fé, a consolação, a esperança; todas são virtudes de Maria!

Feliz do que ainda à carne preso, de seus erros sofrendo as consequências, pode o perfume aspirar da rosa da pureza, pode ouvir as célicas harmonias, pode fitar a estrela da manhã e, da eternidade o porto santo demandando, vai encontrar Jesus!

Meus filhinhos, recebei da Virgem puríssima todas as bênçãos.

Nas vossas frontes recebei de Celina um ósculo, como de seus afetos prova, e das esperanças que nos novos discípulos de Jesus deposita.

Não tarda a hora da colheita, sentimo-lo. Os nossos braços preparemos para os frutos atingirem e, colhendo-os, entregá-los a Jesus.

Neste momento, a Ele rogo, como das suas servas a mais humilde, que sobre vós descer faça suas bênçãos; que imprima em vossos Espíritos a coragem dos levitas do passado, que, afrontando todos os tormentos, todas as dores, iam a toda parte levar a Boa Nova.

Celina

Médium: Frederico.

GRUPO ISMAEL



COMEMORAÇÃO DA ASCENSÃO DE N. S. JESUS CRISTO

Feita a prece inicial, foi recebida a seguinte comunicação:

Prestai mais uma homenagem Àquele a quem tudo deveis. Comemorando

a ascensão do nosso Salvador, temos ensejo de estudar ainda

uma vez a sua divina despedida, que deixou no coração de seus Apóstolos,

como no de toda a humanidade, as feridas pungentes das grandes

saudades.

Estudemos, pois, os capítulos dos Evangelhos, referentes ao assunto

que este saudoso e glorioso dia recorda! Paz, Amor e Caridade ─

Bittencourt.

Procedeu-se à leitura dos trechos seguintes dos Evangelhos: Mateus, XXVIII, 16-20. ─ Marcos, XVI, 15-20. ─ Lucas, XXIV, 50-
53. ─ João, XX, 17. ─ Atos, I, 1 a 12.


Concluído o estudo desses trechos, concentraram-se todos e, ao cabo de alguns momentos, o médium Frederico, sonambulizado, disse:

Vejo, presidindo aos nossos trabalhos — Ismael. Ao seu lado, está um formoso mancebo de louros cabelos, vestido de alva túnica. Acham--se presentes todos os nossos Guias e Protetores e muitos Espíritos sofredores.

Bittencourt me diz e eu repito: O estado do teu Espírito é precário.

Acalma-te, para exprimires, ainda que superficialmente, os pensamentos do Bom Ismael. Que luta, meu amigo, temos travado com os aborrecidos da luz! Não sucumbas em meio do caminho. Já quando começamos o nosso trabalho Jesus perante a Cristandade foste assaltado pela

porta; hoje, que pretendemos elaborar o humílimo trabalho destinado ao estudo das crianças, e à sua orientação moral, assaltam-te até pela janela! Exatamente no dia de hoje, 16 de Maio, concebi, se é que posso conceber alguma coisa, a ideia de um livro e, assistindo a estes trabalhos, lembrei-me do cap. 24 de Lucas, v. 27, que nos fala das despedidas de Jesus. Sublime recordação fez ele então do passado. Veio desde os tempos de Moisés, passou pelos profetas até aos seus dias.

Pois bem:

por Moisés começaremos o trabalho, pelos profetas seguiremos as narrativas que forem necessárias e chegaremos ao nosso Amado Jesus.

Imagina, meu bom amigo, que tormento, para aqueles que não querem conhecer a Deus, nem ao nosso Redentor. De tudo se servem, tudo aproveitam para turbar; mas, valha-nos a fé; precisamos concluir a jornada que encetamos, não nós ambos apenas, porém todos, fazendo com que os nossos compromissos se tornem uma realidade aos olhos d’Aquele a quem tudo devemos.

Ora, meu amigo, e não esmoreças. Chama pelo teu Marcos, teu verdadeiro amigo e venceremos. Acalma-te e transmite aos teus irmãos e palavra de Ismael.

O médium levanta-se e fala:

Paz.

Estava satisfeita a sede dos homens. Sangue pediam por ambição e por orgulho; sangue tiveram, precioso, jorrando de uma fonte cristalina ─ o coração de Jesus! Consumado o sacrifício do Calvário,
parecendo-lhes resolvida toda a questão, as almas ferrenhas se expandiram.

Os espíritos inimigos da luz e da verdade banquetearam-se, porque, finalmente, da face da Terra desaparecera aquele espectro, como o consideravam, verdadeiro pesadelo entre seus sonhos de inveja e de ambição. Jesus estava sepultado, pesada pedra lhe cobria o sepulcro e apenas o silencio da campa responderia aos chamados de seus Discípulos!

Pobres criaturas daqueles tempos, vítimas, como as de hoje, de terrível sonho, do qual haviam de ser despertadas muito em breve pelos hinos da Aleluia!

Jesus, como sabeis pelo estudo que fazeis do Evangelho, levanta a pesada pedra do seu túmulo, para ainda uma vez mostrar o poder do Pai.

Após essa morte aparente, que os homens julgavam definitiva, Ele ainda precisou dar instruções àqueles que haviam de levar por diante, a todos os povos e através de todos os séculos, a sua abençoada Doutrina.

Homens rudes, como se apresentavam na Terra os seus Apóstolos,

Espíritos, podemos dizer, imersos em letargo, como era necessário para confusão dos fátuos e dos poderosos, Jesus, Estrela do Céu caída na superfície do planeta, ainda precisava banhar de seus eflúvios luminosos aquelas inteligências, infundindo-lhes todo o saber necessário à propaganda do seu Evangelho.

Foi assim que, logo depois da sua ressurreição, buscou os Discípulos que, tímidos, se haviam escondido de medo dos Judeus, como sabeis, e, num amoroso colóquio com eles, pondo à prova a fé do que duvidara de haver Ele ressurgido, dá-lhes a luz e, considerando terminada a sua missão, quanto àqueles tempos, notai bem, vai assumpto ao Céu, na frase do Evangelista.

Uma nuvem, diz o livro santo, cobriu o Senhor, de sorte que eles não mais o viram. Deveis, porém, compreender hoje que essa nuvem estava na pupila dos olhos dos pecadores, que não podiam ver o Mestre,subindo à sua suprema glória.

Diz ainda o texto:

─ “onde está sentado à direita de Deus.”

Bem percebeis que é simbólica essa linguagem. Diz-se que Jesus está à direita, porque, na Terra, a direita sempre se dá aos prediletos. É um lugar de honra. Hoje, depois de tantos séculos, já podeis compreender que, dizendo assim, o Evangelho disse bem, disse a verdade. Jesus teve e tem a primazia do primogênito. Como Espírito que jamais pecou, está desde sempre ao lado do seu Criador!

Oh! Jesus, quantos sofrimentos experimentaste no teu Espírito bom! Quantas angústias suportaste, para levar todos os homens ao lado direito do Pai! Por quantas agonias passaste na Terra, para numa mesma paralaxe de amor ─ englobar todas as almas dos teus irmãos.

Não pudeste fazê-lo, oh! Jesus, na tua ascensão; mas, deixaste na Terra teus Discípulos, aos quais iluminaste, para que, difundindo, por todos os seus irmãos infelizes, a luz que lhes deste, estes se habilitassem a um dia, libertando-se da morte, como se diz na Terra, também se colocarem à direita do Divino Pai.

Jesus, amado Jesus, baixa os teus divinos olhos sobre estes pequeninos.

São teus amigos. Eles só têm fraquezas, fraquezas do mundo.

Tu disseste ─ a carne é fraca. Falta-lhes a vigilância, o cuidado, o zelo da tua Doutrina; mas, eles te amam. Jesus, Amado Jesus, pelo dia de hoje, abençoa-nos.

Ismael

GRUPO ISMAEL

O fato ocorreu em Pedro Leopoldo.


Chico costumava acompanhar até às pensões ou hotéis as visitas que ficavam no Centro até o término das reuniões, que se dava por volta de duas horas da manhã.
Certo dia, já de volta ao lar, foi abordado por dois desconhecidos, que ele sabia não serem da cidade, e um deles foi logo dizendo:
- Passe para cá todo o dinheiro que tiver em seu bolso.
Chico remexeu seus bolsos e, só encontrando cinco cruzeiros, disse aos ladrões:
- Olhem, eu só tenho cinco cruzeiros, mas por favor, não me façam mal. Tenho muitas crianças para cuidar.
Um dos assaltantes, que parecia ter alguma bondade nos olhos, perguntou:
- Você é casado?
- Não, respondeu o Chico.
- Então, que história é essa de crianças?
- São as crianças que eu cuido, umas são parentes, outras necessitadas, mas olho-as todas.
Nisso o outro assaltante intervém, dizendo:
- Não falei que não valia a pena assaltá-lo? Veja as roupas remendadas. O sapato, então, parece a boca aberta de um jacaré. Vamos embora que esse aí está pior que nós.
O assaltante então perguntou:
- Você ainda tem aqueles duzentos cruzeiros com você?
- Você não vai fazer o que eu estou pensando, vai?
- Vamos, passe o dinheiro depressa.
De posse do dinheiro, entregou-o ao Chico e disse:
- Tome, compre leite para as suas crianças.  E, chamando o outro ladrão, foram embora. Chico, aliviado, escorou-se num poste e disse:
- Muito obrigado, meus irmãos. Que Jesus os abençoe e acompanhe. O ladrão que havia lhe dado o dinheiro lhe respondeu:
- Você acha que Jesus vai nos abençoar e acompanhar? Nós somos ladrões!
- Como não, meu irmão, disse-lhe o Chico, Ele escolheu dois para sair da Terra com Ele.
Da obra: Kardec Prossegue - Adelino da Silveira


DOMINGO DE PÁSCOA

“E eles o constrangeram dizendo: Fica conosco por que já é tarde e já declinou o dia. E entrou para ficar com eles.” Lc 24:29

Clóvis Tavares

Imagino-Te Senhor, em minhas pobres meditações, a percorrer, pequenino ainda-Divina Criança- os relvados e as colinas de Nazaré, ou empunhando uma ferramenta na Carpintaria modesta...

Depois, socorrendo os que sofrem ou semeando Tuas parábolas na verde Galiléia...
Pacificando os corações na terra dos samaritanos ou abençoando as criancinhas nas praias de Genesaré...

Ou ainda nas margens do Jordão, legando inesquecível exemplo d ehumildade, junto do valoroso Precursor...

Teus pés cansados sangraram na descida do Monte da Quarentena e se cobriram de poeira nas estradas da Judéia...

Entendo-Te a energia ante os vendilhões do Templo e sinto-Te a ternura nas bodas de Cana e nos adeus da Ceia...

Tento imaginar Teu carinho de filho, no lar Galileu, junto aos trabalho da Mãe Santíssima ou nas fadigas da Carpintaria...

Resplende Teu saber no diálogo com Nicodemos e Tua imensurável bondade na conversação com a singela Samaritana...

É doce recordar-Te, Mestre incomparável, a instruir os Doze nos serões de Cafarnaum, mas é ofuscante imaginar-Te na glória do Tabor...

Procuro, mais e mais- e é tão difícil, Senhor- ouvir-Te no Sermão da Montanha...
Comove ver-Te acolhendo o desprezado Zaqueu e a sofredora Maria de Magdala, ou sustentando o afetuoso Simão Pedro, a quem deste as chaves do Reino...

És sempre a figura excelsa da História, o amigo incondicional dos caídos e angustiados, o coração compassivo-nosso maior apoio na vida...

Dois mim anos se passaram, meu Rabi, nos turbilhões da evolução humana. A crueldade dos fariseus, a dubiedade de Pilatos, as flagelações do Pretório, o carrascal do Calvário, a indiferença dos orgulhosos e a incompreensão dos mais amados já não Te atingem, Senhor...

Voltaste à Glória de Teu Reino, naquele luminoso Domingo da Ressurreição e Te tornastes nossa Páscoa- nossa passagem, nossa Ponte para Deus.

Não consigo divisar a magnificência espiritual de Teu infinito Império, flamejante de amor e de paz, mas sei que caminhas conosco, todos os dias, até a consumação dos tempos.

Sabemos todos nós que assim é, que estás ao nosso lado qual Divino Amigo, Inseparável Companheiro da Grande Viagem...

Das profundezas de nosso exílio terreno, neste Domingo de Páscoa, em que testemunhaste para todos os séculos a certeza da Imortalidade, permite-

nos a todos, repetir-Te, com ternura e com fé, as palavras dos Teus dois discípulos de Emaús: Já anoitece, já é tarde...Fica conosco, Senhor!...

(Tavares, Clóvis, De Jesus Para os que Sofrem, IDE, 1985)



Encontro de Públio Lentulus (Emannuel*), com Jesus


O Senador Públio Lentulus(*) "DEIXOU QUE AS HORAS MOVIMENTADAS DO DIA SE ESCOASSEM COM AS CLARIDADES DO POENTE E, QUANDO O CREPÚSCULO ENTORNAVA AS SUAS MEIAS-TINTAS NA PAISAGEM MARAVILHOSA,       SAIU,       FINGINDO       DISTRAÇÃO       E ALHEAMENTO, COMO SE DESEJASSE CONHECER DE PERTO A ANTIGA FONTE DA CIDADE, MOTIVO DE ATRAÇÃO PARA TODOS OS FORASTEIROS.

APÓS HAVER PERCORRIDO UNS TREZENTOS METROS DE CAMINHO, ENCONTROU TRANSEUNTES E PESCADORES, QUE SE RECOLHIAM E O ENCARAVAM COM MAL DISFARÇADA CURIOSIDADE. UMA HORA PASSOU SOBRE AS SUAS AMARGAS COGITAÇÕES ÍNTIMAS.

Um velário imenso de sombras invadia toda a região, cheia de vitalidade e de perfumes.

ONDE ESTARIA O PROFETA DE NAZARÉ NAQUELE INSTANTE? NÃO SERIA UMA ILUSÃO A HISTÓRIA DOS SEUS MILAGRES E DA SUA ENCANTADORA MAGIA SOBRE AS ALMAS? NÃO SERIA UM ABSURDO PROCURÁ-LO AO LONGO DOS CAMINHOS, ABSTRAINDO-SE DOS IMPERATIVOS DA HIERARQUIA SOCIAL? EM TODO CASO, DEVERIA TRATAR- SE DE HOMEM SIMPLES E IGNORANTE, DADA A SUA PREFERÊNCIA POR CAFARNAUM E PELOS PESCADORES.

DANDO CURSO ÀS IDÉIAS QUE LHE FLUÍAM DA MENTE INCENDIADA E ABATIDA, PÚBLIO LENTULUS CONSIDEROU DIFICÍLIMA A HIPÓTESE DO SEU ENCONTRO COM O MESTRE DE NAZARÉ.

COMO SE ENTENDERIAM? NÃO LHE INTERESSARA O CONHECIMENTO MINUCIOSO DOS DIALETOS DO POVO E, CERTAMENTE, JESUS LHE FALARIA NO ARAMAICO COMUMENTE USADO NA BACIA DE TIBERÍADES.

Profundas cismas entornavam-lhe do cérebro para o coração, como as sombras do crepúsculo que precediam a noite.

O céu, porém, àquela hora, era de um azul maravilhoso, enquanto as claridades opalinas do luar não haviam esperado o fechamento absoluto do leque imenso da noite.

O senador sentiu o coração perdido num abismo de cogitações infinitas, ouvindo-lhe o palpitar descompassado no peito opresso.

Dolorosa emoção lhe compungia agora as fibras mais íntimas do espírito. Apoiara-se, insensivelmente, num banco de pedras enfeitado de silvas, e deixara-se ali ficar, sondando o ilimitado do pensamento.

Nunca experimentara sensação idêntica, senão no sonho memorável, relatado unicamente a Flamínio.

Recordava-se dos menores feitos da sua vida terrestre, afigurando- se-lhe haver abandonado, temporariamente, o cárcere do corpo material.

Sentia profundo êxtase, diante da Natureza e das suas maravilhas, sem saber como expressar a admiração e reconhecimento aos poderes celestes, tal a clausura em que sempre mantivera o coração insubmisso e orgulhoso.

Das águas mansas do lago de Genesaré parecia-lhe emanarem suavíssimos perfumes, casando-se deliciosamente ao aroma agreste da folhagem.


O ENCONTRO

Foi nesse instante que, com o espírito como se estivesse sob o império de estranho e suave magnetismo, ouviu passos brandos de alguém que buscava aquele sítio.

DIANTE DE SEUS OLHOS ANSIOSOS, ESTACARA PERSONALIDADE INCONFUNDÍVEL E ÚNICA. TRATAVA-SE DE UM HOMEM AINDA MOÇO, QUE  DEIXAVA TRANSPARECER       NOS       OLHOS,       PROFUNDAMENTE

MISERICORDIOSOS, UMA BELEZA SUAVE E INDEFINÍVEL. LONGOS E SEDOSOS CABELOS MOLDURAVAM-LHE O SEMBLANTE COMPASSIVO, COMO SE FOSSEM FIOS CASTANHOS, LEVEMENTE DOURADOS POR LUZ DESCONHECIDA. SORRISO DIVINO, REVELANDO AO MESMO TEMPO BONDADE IMENSA E SINGULAR ENERGIA, IRRADIAVA DA SUA MELANCÓLICA E MAJESTOSA FIGURA UMA FASCINAÇÃO IRRESISTÍVEL.

Públio Lentulus não teve dificuldade em identificar aquela criatura impressionante, mas, no seu coração marulhavam ondas de sentimentos que, até então, lhe eram ignorados. Nem a sua apresentação a Tibério,  nas magnificências de Capri, lhe havia imprimido tal emotividade ao coração.

Lágrimas ardentes rolaram-lhe dos olhos, que raras vezes haviam chorado, e força misteriosa e invencível fê-lo ajoelhar-se na relva lavada em luar.

DESEJOU FALAR, MAS TINHA O PEITO SUFOCADO E OPRESSO. FOI QUANDO, ENTÃO, NUM GESTO DE DOCE E SOBERANA BONDADE, O MEIGO NAZARENO CAMINHOU PARA ELE, QUAL VISÃO CONCRETIZADA DE UM DOS DEUSES DE SUAS ANTIGAS CRENÇAS, E, POUSANDO CARINHOSAMENTE A DESTRA EM SUA FRONTE, EXCLAMOU EM LINGUAGEM ENCANTADORA, QUE PÚBLIO ENTENDEU PERFEITAMENTE, COMO SE OUVISSE O IDIOMA PATRÍCIO, DANDO-LHE A INESQUECÍVEL IMPRESSÃO DE QUE A PALAVRA ERA DE ESPÍRITO PARA ESPÍRITO, DE CORAÇÃO PARA CORAÇÃO:

- SENADOR, PORQUE ME PROCURAS? – E, ESPRAIANDO O OLHAR PROFUNDO NA PAISAGEM, COMO SE DESEJASSE QUE A SUA VOZ FOSSE OUVIDA POR TODOS OS HOMENS DO PLANETA, REMATOU COM SERENA NOBREZA: – FÔRA MELHOR QUE ME PROCURASSES PUBLICAMENTE E NA HORA MAIS CLARA DO DIA, PARA QUE PUDESSES ADQUIRIR, DE UMA SÓ VEZ E PARA TODA A VIDA, A LIÇÃO SUBLIME DA FÉ E DA HUMILDADE...

Mas, eu não vim ao mundo para derrogar as leis supremas da Natureza e venho ao encontro do teu coração desfalecido!...

Públio Lentulus nada pôde exprimir, além das suas lágrimas copiosas, pensando amargamente na filhinha; mas o profeta, como se prescindisse das suas palavras articuladas, continuou:

- SIM... NÃO VENHO BUSCAR O HOMEM DE ESTADO, SUPERFICIAL E ORGULHOSO, QUE SÓ OS SÉCULOS DE SOFRIMENTO PODEM ENCAMINHAR AO REGAÇO DE MEU PAI; VENHO ATENDER ÀS SÚPLICAS DE UM CORAÇÃO DESDITOSO E OPRIMIDO E, AINDA ASSIM, MEU AMIGO, NÃO É O TEU SENTIMENTO QUE SALVA A FILHINHA LEPROSA E DESVALIDA PELA CIÊNCIA DO MUNDO, PORQUE TENS AINDA A RAZÃO EGOÍSTICA E HUMANA; É, SIM, A FÉ E O AMOR DE TUA MULHER, PORQUE A FÉ É DIVINA... BASTA UM RAIO SÓ DE SUAS ENERGIAS PODEROSAS PARA QUE SE PULVERIZEM TODOS OS MONUMENTOS DAS VAIDADES DA TERRA...

Comovido e magnetizado, o senador considerou, intimamente, que seu espírito pairava numa atmosfera de sonho, tais as comoções desconhecidas e imprevistas que se lhe represavam no coração, querendo crer que os seus sentidos reais se achavam travados num jogo incompreensível de completa ilusão.

NÃO, MEU AMIGO, NÃO ESTÁS SONHANDO... – EXCLAMOU MEIGO E ENÉRGICO O MESTRE, ADIVINHANDO-LHE OS PENSAMENTOS – DEPOIS DE LONGOS ANOS DE DESVIO DO BOM CAMINHO, PELO SENDAL DOS ERROS CLAMOROSOS, ENCONTRAS, HOJE, UM PONTO DE REFERÊNCIA PARA A REGENERAÇÃO DE TODA A TUA VIDA.


ESTÁ, PORÉM, NO TEU QUERER O APROVEITÁ-LO AGORA, OU DAQUI A ALGUNS MILÊNIOS... SE O DESDOBRAMENTO DA VIDA HUMANA ESTÁ SUBORDINADO ÀS CIRCUNSTÂNCIAS, ÉS OBRIGADO A CONSIDERAR QUE ELAS

EXISTEM DE TODA A NATUREZA, CUMPRINDO ÀS CRIATURAS A OBRIGAÇÃO DE EXERCITAR O PODER DA VONTADE E DO SENTIMENTO, BUSCANDO  APROXIMAR SEUS DESTINOS DAS CORRENTES DO BEM E DO AMOR AOS SEMELHANTES.

SOA PARA TEU ESPÍRITO, NESTE MOMENTO, UM MINUTO GLORIOSO, SE CONSEGUIRES UTILIZAR TUA LIBERDADE PARA QUE SEJA ELE, EM TEU CORAÇÃO, DORAVANTE, UM CÂNTICO DE AMOR, DE HUMILDADE E DE FÉ, NA HORA INDETERMINÁVEL DA REDENÇÃO, DENTRO DA ETERNIDADE...


MAS, NINGUÉM PODERÁ AGIR CONTRA A TUA PRÓPRIA
CONSCIÊNCIA, SE QUISERES DESPREZAR
INDEFINIDAMENTE ESTE MINUTO DITOSO!

PASTOR DAS ALMAS HUMANAS, DESDE A FORMAÇÃO DESTE PLANETA, HÁ MUITOS MILÊNIOS VENHO PROCURANDO REUNIR AS OVELHAS TRESMALHADAS, TENTANDO TRAZER-LHES AO CORAÇÃO AS ALEGRIAS ETERNAS DO REINADO DE DEUS E DE SUA JUSTIÇA!

Públio fitou aquele homem extraordinário, cujo desassombro provocava admiração e espanto.


HUMILDADE? QUE CREDENCIAIS LHE APRESENTAVA O PROFETA PARA LHE FALAR ASSIM, A ELE SENADOR  DO IMPÉRIO, REVESTIDO DE TODOS OS PODERES DIANTE DE UM VASSALO?

NUM MINUTO, LEMBROU A CIDADE DOS CÉSARES, COBERTA DE TRIUNFOS E GLÓRIAS, CUJOS MONUMENTOS E PODERES ACREDITAVA, NAQUELE MOMENTO, FOSSEM IMORTAIS.

TODOS OS PODERES DO TEU IMPÉRIO SÃO BEM FRACOS E TODAS AS SUAS RIQUEZAS BEM MISERÁVEIS.

AS MAGNIFICÊNCIAS DOS CÉSARES SÃO ILUSÕES EFÊMERAS DE UM DIA, PORQUE TODOS OS SÁBIOS, COMO TODOS OS GUERREIROS, SÃO CHAMADOS NO MOMENTO OPORTUNO AOS TRIBUNAIS DA JUSTIÇA DE MEU PAI QUE ESTÁ NO CÉU.


UM DIA, DEIXARÃO DE EXISTIR AS SUAS ÁGUIAS PODEROSAS, SOB UM PUNHADO DE CINZAS MISÉRRIMAS. SUAS CIÊNCIAS SE TRANSFORMARÃO AO SOPRO DOS ESFORÇOS DE OUTROS TRABALHADORES MAIS DIGNOS DO PROGRESSO, SUAS LEIS INÍQUAS SERÃO TRAGADAS NO ABISMO TENEBROSO DESTES SÉCULOS DE IMPIEDADE, PORQUE SÓ UMA LEI EXISTE E SOBREVIVERÁ AOS ESCOMBROS DA INQUIETAÇÃO DO HOMEM – A LEI DO AMOR, INSTITUÍDA POR MEU PAI, DESDE O PRINCÍPIO DA CRIAÇÃO...


Agora, volta ao lar, consciente das responsabilidades do teu destino...

Se a fé instituiu na tua casa o que consideras a alegria com o restabelecimento de tua filha, não te esqueças que isso representa um agravo de deveres para o teu coração, diante de nosso Pai, Todo-Poderoso!...

O senador quis falar, mas a voz tornara-se-lhe embargada de comoção e de profundos sentimentos. Desejou retirar-se, porém, nesse momento, notou que o profeta de Nazaré se transfigurava, de olhos fitos no céu...

Aquele sítio deveria ser um santuário de suas meditações e de suas preces, no coração perfumado da Natureza, porque Públio adivinhou que ele orava intensamente, observando que lágrimas

copiosas lhe lavavam o rosto, banhado então por uma claridade branda, evidenciando a sua beleza serena e indefinível melancolia.

Nesse instante, contudo, suave torpor paralisou as faculdades de observação do patrício, que se aquietou estarrecido.

Deviam ser vinte e uma horas, quando o senador sentiu que despertava. Leve aragem acariciava-lhe os cabelos e a Lua entornava seus raios argênteos no espelho carinhoso e imenso das águas.

Guardando na memória os mínimos pormenores daquele minuto inesquecível, Públio sentiu-se humilhado e diminuído, em face da fraqueza de que dera testemunho diante daquele homem extraordinário.

Uma torrente de idéias antagônicas represava-se-lhe no cérebro, acerca de suas admoestações e daquelas palavras agora arquivadas para sempre no âmago da sua consciência.  (...)”

(Do livro Há dois mil anos, ditado pelo espírito Emmanuel ao médium
Francisco Cândido Xavier, Ed. FEB, p. 84)


Fonte e agradecimentos: Carlos Eduardo Cennerelli




Nenhum comentário:

Calendário Assistência 2017

TENDA ESPÍRITA MAMÃE OXUM

CALENDÁRIO ASSISTÊNCIA - 2017.

C.E. Miguel Arcanjo e Tenda Espirita Mamãe Oxum-

Rua Francisco Framback, 91 E – Cascatinha - Petrópolis - RJ

ABRIL

MAIO

JUNHO

23 – Reabertura do Terreiro às 20h – Saudação à Ogum

02 – sexta-feira – Pretos Velhos

28 - sexta-feira - Exus

05 - sexta-feira – Pretos Velhos

07 – quarta-feira – Estudo da Umbanda

10 - quarta-feira- Estudo da Umbanda

09 – sexta-feira – Saúde

12 - sexta-feira – Saúde

13 – terça-feira – Saudação Aos Exus – Bênção dos Pães – 20h

13 – sábado – Saudação aos Pretos Velhos

16 – sexta-feira – Não tem Gira

17 – quarta-feira – Doutrina - Vovó Catarina

21 – quart-feira – Doutrina – Vovó Catarina

19 – sexta-feira – Caboclos

23 – sexta-feira – Caboclos

24 – quarta-feira –Saudação à Sta. Sara,

e Povo Cigano

28 – quarta-feira – Doutrina

26 – sexta-feira - Malandros

30 – sexta-feira - Exus

JULHO

AGOSTO

SETEMBRO

05 – quarta-feira – Doutrina

02 – quarta-feira – Estudo da Umbanda

01 – sexta-feira – Pretos Velhos

07 – sexta-feira – Pretos Velhos

04 – sexta-feira – Pretos Velhos

06 – quarta-feira – Estudo da Umbanda

12 – quarta-feira – Estudo da Umbanda

09 – quarta-feira – Doutrina

08 – sexta-feira – Saúde

14 – sexta-feira – Saúde

11 – sexta-feira – Saúde

13 – quarta-feira – Doutrina

19 – quarta-feira – Doutrina – Vovó Catarina

16 – quarta-feira – Saudação à Obaluaê e Omolu

15 – sexta-feira – Caboclos

21 – sexta-feira – Caboclos

18 – sexta-feira – Caboclos

20 - quarta-feira – Doutrina – Vovó Catarina

28 – sexta-feira - Exus

23 – quarta-feira – Doutrina – Vovó Catarina

22 – sexta-feira – Não Tem Gira

25 – sexta-feira – Malandros

24 – Domingo – Saudação à Ibeijada - às 17h

30 – quarta-feira – Doutrina ou Palestra

27 – quarta-feira – Distribuição Doces

29 – sexta - Exus

OUTUBRO

NOVEMBRO

DEZEMBRO

.04 – quarta-feira – Estudo da Umbanda

01 – quarta-feira – Terreiro Fechado

02 - Confraternização

06 – sexta-feira – Pretos Velhos

03 – sexta-feira – Não tem Gira

08 – sexta-feira – Saudação à Oxum e bênção dos Pretos Velhos – 20h

11 – quarta-feira - Não tem Doutrina

08 – quarta-feira – Estudo da Umbanda

09 – Oferendas na Praia – saída 17h

12 – quinta-feira – Cachoeira / Mata

10 - sexta-feira – Saúde

13 – sexta-feira – Não tem Gira

15 – Feriado – Saudação aos Malandros

18 – quarta-feira – Doutrina – Vovó Catarina

17 – sexta-feira – Caboclos

20 – sexta-feira – Caboclos

22 – quarta-feira – Doutrina

25 – quarta-feira – Doutrina – Doutrina ou Palestra

24 – sexta-feira – Exus

27 – sexta-feira - Ciganos

29 – quarta-feira – Doutrina – Vovó Catarina

A giras de sextas-feiras têm início às 20 horas. As fichas são distribuídas a partir de 19:45 até as 21:30. As pessoas que chegarem após este horário receberão apenas o passe, sem consulta.

Nossa casa não cobra consultas nem trabalhos, porém aceitamos colaboração de materiais de uso como velas, fósforos, charutos, fumos, etc...

ATENÇÃO: NÃO É PERMITIDO PARA ATENDIMENTO, PESSOAS COM MINI-SAIAS, SHORTS OU BERMUDAS CURTAS, BLUSAS MUITO DECOTADAS OU MINI-BLUSAS, CAMISETAS TIPO MACHÃO.

A CARIDADE NÃO SERÁ NEGADA, PORÉM RESPEITEM O TEMPLO RELIGIOSO.

(Baixe o seu calendário em PDF, clicando aqui)

Printfriendly